TRAÇAS

Traça é a denominação popular dada a diferentes grupos de insetos, podendo variar entre regiões ou países.
São os insetos da ordem Thysanura, que é desprovida de asas e se alimenta de detritos (detritívoros). Comumente encontrados vivendo nos domicílios entre papéis e roupas, dos quais se alimentam, sendo por isso considerados como pragas caseiras. No ambiente silvestre vivem no meio do folhiço se alimentando de folhas caídas e insetos mortos.

No Brasil este nome se refere à ordem Thysanura (que na Europa é chamado de lepisma). Na Europa o nome traça se relaciona com a ordem Lepidoptera relacionado com as borboletas.
As traças representam a grande maioria das espécies de lepidópteros e correspondem a 121 famílias desta ordem (num total de 127).
O grupo das traças recebe a designação informal de Heterocera e distingue-se das borboletas pelos seguintes critérios: as antenas das traças são bastante variadas conforme a espécie, e apresentam normalmente forma de plumas; hábitos de vida noturnos ou crepusculares; metamorfose da pupa num casulo mole; coloração monótona adaptada ao modo de vida noturno; posição de repouso com as asas abertas e corpo arredondado e robusto.
Algumas espécies de traça são importantes economicamente, quer do ponto de vista positivo ou negativo. Por outro lado, há espécies que são consideradas como pragas agrícolas e florestais. As taturanas são lagartas venenosas que provocam inúmeros acidentes no Brasil e que correspondem ao estado larval do género de traça Lonomia. Na escala familiar, as traças são conhecidas pelos estragos que causam ao alimentarem-se de roupa feita de [[lã e algodão.

 



As traças dos livros, também chamadas de traças prateadas, pertencem à Ordem Thysanura e são insetos que se alimentam de substâncias ricas em proteínas, açúcar ou amido, sendo muito comuns em residências, onde podem causar danos pelo ataque aos cereais, farinhas de trigo (úmidas), papéis que contenham cola (papel de parede, livros encadernados em brochura, etc), roupas engomadas e tecidos de "rayon". Raramente atacam roupas de lã e outros produtos de origem animal.
Seu aspecto lembra um peixe prateado, daí um de seus nomes em inglês ser "silverfish". As espécies encontradas nas residências têm coloração cinza prateada. Seu tamanho varia de 0,85 a 1,3 cm, dependendo da espécie e do ínstar (estágio de desenvolvimento).
As traças dos livros podem ocasionar enormes danos às roupas e papéis. Quando presentes nas bibliotecas, há necessidade de controle periódico (anual).
voltar ao topo
Biologia e Comportamento
Este insetos são desprovidos de asas, apresentam o corpo alongado e com apêndices caudais longos, filiformes, muito característicos. O nome da ordem significa: thysanus (do grego, franja ou fimbria) e oura (do grego, cauda).
Os tisanuros possuem espécies onívoras (que se alimentam de todo o tipo de substrato) e algumas espécies vegetarianas. Estas últimas podem ser encontradas sob folhas, cascas de árvores, madeiras podres ou em ninhos de formigas e cupins. Estas espécies não são economicamente importantes (do ponto de vista de prejuízos econômicos ou à saúde). Algumas espécies frequentam o ambiente doméstico e podem ocasionar danos a livros e outros materiais.
Em relação ao seu desenvolvimento, os jovens assemelham-se aos adultos, exceto por serem menores, apresentando ametabolia, isto é, desenvolvem-se diretamente sem que sofram metamorfose. Do ovo sai uma forma jovem que cresce, sofre muda várias vezes, até atingir a fase adulta. Após sair do ovo, há, no mínimo, seis ínstares. O tempo de desenvolvimento, em nossas condições climáticas, é de aproximadamente um ano.
As traças apresentam hábitos diurnos e noturnos, sendo ativas à noite e escondendo-se durante o dia, evitando contato direto com a luz. Assim, ao acender-se a luz de um aposento, as traças procuram se esconder em frestas ou atrás de móveis e quadros.
Existem poucos estudos sobre a biodiversidade deste grupo de insetos. As espécies mais comuns encontradas no Brasil são Acrotelsa collaris (Fabricius) e Ctenolepisma ciliata (Dufourd).
voltar ao topo
Métodos de Controle
Para prevenir o ataque destes insetos ou evitar que sua população aumente, as seguintes medidas devem ser tomadas:
1. Controlar ou eliminar pontos de umidade, tais como vazamentos de encanamentos.
2. Evitar acúmulo de jornais, livros e revistas velhas ou outras fontes de alimento.
3. Selar frestas e ranhuras na estrutura, onde estes insetos podem se abrigar.
4. Evitar a entrada de material proveniente de locais com histórico de infestação por traças (caixas de papelão, pilhas de livros, jornais, revistas, etc.).
Limpar periodicamente livros e outros materiais estocados que podem servir de alimento.